sábado, 13 de junho de 2009

PORQUE ACREDITO NA FAMILIA ( Por Pr Jabes Nogueira Filho)

Falar sobre família sempre foi uma prática comum entre os pregadores cristãos. O assunto está na Bíblia e realmente deve merecer a maior atenção de nossos púlpitos. Em especial hoje em dia quando parece que foi deflagrada uma batalha espiritual contra a família. Mas para início de conversa quero declarar que acredito piamente que esta batalha já está ganha! Mas por que eu acredito na família? Por que posso afirmar que as famílias, em princípio as cristãs, vão prevalecer nesta guerra?
Afirmar como resposta inicial que é porque a família nasceu no coração de Deus e por ela o Senhor tem interesse particular é apenas reafirmar o já bastante conhecido. Então me deixe tentar justificar minha convicção a partir da leitura da parábola do filho pródigo contada por Jesus e registrada por Lucas 15:11-32.
Na história narrada pelo Mestre a família é um lugar onde há diferenças. E mesma elas existindo, são compreendidas e respeitadas. Na parábola o pai tem dois filhos e cada um se comporta de maneira completamente diferente do outro; mas nem por isso são rejeitados ou desprezados por seu pai.
Acredito na família por que somos todos diferentes entre nós – e não há razão nenhuma para sermos iguais – e na família há lugar para todos.
Ainda na parábola a família retratada é um lugar de referência e acolhimento. Lá pelo meio da história o pródigo se lembra da casa do pai e reconhece que somente naquele lugar ele poderia ser acolhido, querido e bem tratado, mesmo depois de tudo que aconteceu. O detalhe é que o mesmo poderia ter acontecido com o outro filho no final da narração se ele escolhesse também ser acolhido pelo amor paterno.
Eu acredito na família por que sei que não importa qual seja nossa história pessoal, sempre teremos uma referência a nos abrigar.
E finalmente, a história conta que foi na família que a vida do filho pode ser reconstruída. Foi na volta para casa que aquele garoto pode experimentar o que é verdadeiramente o perdão e o amor – isso só acontece num ambiente familiar – e assim também poder reconstruir sua própria história. De pródigo rebelde a renascido querido.
É por isso que eu acredito na família como modelo cristão, pois é no seu seio que encontraremos as bases para que nossa vida – que por vezes está maltrapilha – possa ser refeita com carinho e cuidado.
Sei que seria bastante utopia se afirmasse que toda família ainda hoje é assim. Mas este é um modelo ideal que o Senhor nos apresentou para que nos mirássemos nele e construamos a nossa família. Exatamente por ser o que ela é no projeto de Deus é que eu acredito que nossas famílias ainda estão no centro dste projeto.
Oremos que o próprio Senhor nos conceda famílias assim.

2 comentários:

Danilo Fernandes disse...

Ola irmãos presbiterianos!

Feliz de encontrar irmãos da minha querida denominação na NET.

Muito legal o trabalho que vocês fazem aqui! Parabéns. Espero que divulguem bons artigos de grandes teólogos e pregadores reformados.

Sou presbiteriano de São Paulo, capital e formado em teologia pelo Reformed Theological Seminary, na Florida.

Estou passeando na net para conhecer blogs cristãos, saber o que o povo está buscando e falando... E para divulgar meu blog, o Genizah.

Vou seguir vocês e espero pela oportunidade daquela troca de irmão em Cristo aqui ou no meu blog, se você me der a honra e prazer da visita.

Genizah é um blog de apologética cristã com uma boa dose de humor. Nosso time é formado por escritores, pastores, humoristas e chargistas cristãos.

Apresentamos artigos mostrando a Beleza da teologia reformada, mas também damos bom combate a apostasia que tem tomado a igreja evangélica brasileira.

Espero que gostem. Paz e Bem!

Danilo

http://www.genizahvirtual.com/

Pastoragente disse...

Andando pelos Blogs cristãos vim conhecer o seu e quero te parabenizar pelo bom trabalho que pude ver aqui.
Já estou te seguindo.
Será uma honra te receber no pastoragente.blogspot.com, que é um blog que conta da forma mais realista e divertida possível as realidades, dúvidas e experiências de uma simples pastora: eu - rsrs.
Fique na paz. Um abraço.